Super NES Classic Edition, vale a pena?

Os quase R$1.000 cobrados pela Nintendo são justos?

Em 2017, a Nintendo lançou um videogame de edição clássica, que junta grandes sucessos de um dos consoles mais aclamados de todos os tempos, tornando mais acessível aos fãs terem mais uma vez os títulos clássicos. O modelo mais recente, o SNES Classic Edition, proporciona um ar de nostalgia ainda superior do que o NES Classic, isso graças ao seu design cuidadosamente trabalhado e à lista bem trabalhada de jogos. Com um preço de mercado avaliado em cerca de R$ 1 mil, será que vale a pena adquirir?

Começando pelo tamanho e peso, o console é uma miniatura do modelo original mede 7,49 × 16,51 × 22,5cm (L x A x P) e pesa 800 gramas. O interessante é que ele ainda mantém a identidade do console original. Muitas características foram mantidas, até as costuras originais onde as peças da caixa se fundem — idênticas ao modelo original. O botão de energia também é o mesmo que o clássico, e o botão de reinicialização também funciona.

Entretanto, apesar de muitos detalhes ainda lembrarem o console original, algumas coisas mudaram, obviamente. Como um console moderno o SNES Classic Edition tem uma porta HDMI para conectividade de vídeo — o que permite jogar em resolução 720p — e outra USB para energia. Os controles são quase iguais aos originais. A principal mudança está na cor das letras ‘L’ e ‘R’ nos botões e também no comprimento do cabo — que tem extensão menor que o Super Nintendo.

Os controles são conectados através de portas USB na frente do console. Caso prefira, é possível substituir por controles do Wii Pro ou mesmo por controles do antecessor NES Classic Edition, o que acabam sendo boas alternativas.

O clássico da Nintendo vem acompanhado de 21 jogos nostálgicos como, por exemplo, Super Mario World, Mega Man X, The Legend of Zelda, Donkey Kong Country, Mario Kart — clássico que marcou a era digital —, Super Metroid, Street Fighter II Turbo: Hyper Fighting, o inédito Star Fox 2 e muitos outros. Embora esta seja uma coleção de jogos muito boa, não é definitiva. Levando em conta que já foram lançados mais de 700 jogos para o Super Nintendo, apenas 21 jogos não é o ideal.

Assim como ocorre com o seu antecessor, o SNES Classic Edition dispõe uma escolha entre três modos gráficos: o tradicional formato 4:3; Pixel perfeito, que não distorce a vista e mostra os pixels como quadrados; e o filtro CRT, que adiciona linhas de digitalização a uma imagem 4:3.

Mas nem tudo são flores para o SNES Classic Edition. Da mesma maneira que ocorre com o NES Classic, não é possível inserir cartuchos no SNES Classic Edition. As únicas partes móveis são os botões “Power” e “Reset”, botão esse que nos leva de volta ao menu principal do sistema. Outro detalhe importante é que não é possível baixar jogos para a plataforma.

Os cabos dos controles um pouco curtos, a falta de um atalho de tela de menu e poucos jogos disponíveis são um pouco decepcionantes, é verdade. Mas isso é um fator determinante para não comprar o SNES Classic Edition? De maneira alguma, mesmo com o preço não sendo dos mais acessíveis no Brasil, principalmente se você é fã do console e quer jogar novamente alguns dos jogos que marcaram gerações e que até hoje são aclamados.