Nintendo Wii U, ainda vale a pena?

Gamepad wii u

O Wii U, mais recente sistema da tradicionalíssima Nintendo e lançado em 2012, tentou se destacar no mercado da mesma maneira que o seu antecessor Wii: através da inovação.

Com capacidade inferior de hardware comparado aos concorrentes principais (PS4 e Xbox One), o Wii U apostou todas as suas fichas em uma forma única de jogar videogame: o controle gamepad, que lembra muito um tablet.

Mas será essa inovação suficiente para que os gamers prefiram o Wii U às máquinas mais avançadas da geração atual?

console-e-gamepad-wii-u gamepad-wii-u-2

Apesar da aparência de “tijolão”, o controle é bastante confortável.

Dependendo do jogo, o gamepad pode ser utilizado de diversas maneiras, por exemplo como um mapa à disposição sem precisar pausar o jogo, ou como um visor.

Mas a maior novidade é que você pode transferir a imagem da televisão para jogar na tela do controle! É fácil, e funciona com todos os jogos que eu testei.

Muito bacana, especialmente se alguém quiser usar a TV enquanto você se diverte com seus games favoritos.

Televisão Wii U

Uma das maiores críticas que o Wii U tem recebido é a falta de games não produzidos pela Nintendo.

Os lançamentos grandes, como Resident Evil e Assassin’s Creed, não devem aparecer no Wii U em suas edições mais recentes, devido à performance inferior do sistema.

O que geralmente dá pra confiar nos consoles da Nintendo é que os principais mascotes não costumam decepcionar.

Quem compra o Wii U espera ansiosamente pelo próximo Mario, pela nova aventura Zelda, pelo empolgante Super Smash Bros., e outras tantas séries populares que certamente vão participar desta nova Geração N.

Considerando os clássicos que já deram as caras no sistema, os games da própria Nintendo são, com certeza, o motivo número 1 para se comprar um Wii U, à frente de qualquer inovação de controle ou hardware.

O gamepad ainda não é vendido separadamente, mais de 2 anos depois do lançamento. Além de já ser um acessório frágil, é preciso tomar cuidado dobrado para não precisar de um novo.

Para os jogos que não exigem o tablet, é recomendado comprar o controle Wii U Pro, que funciona como um pad de games tradicional, ou usar algum controle do Wii. Aliás, o Wii U é 100% compatível com o antecessor, tanto para acessórios como para os games. Bem legal.

Wii u pro
Wii U Pro (Imagem/Reprodução)

 Wii U vale a pena?

A Nintendo é uma líder extremamente respeitada no mundo dos games, mas a impressão de uns anos pra cá é de que estão um pouco atrasados com  relação à concorrência.

O Wii U ainda vale a pena se você for fã incondicional dessas séries tão queridas que ajudaram a escrever a história dos games, mas ainda assim é tecnicamente uma máquina da geração anterior, com preço de geração atual, e com perspectiva menor que a de seus grandes concorrentes.

O jeito é torcer para que lancem mais e mais clássicos que justifiquem o investimento.

E você, já jogou o Nintendo Wii U? O que achou? Conta aí!

Oi! Meu nome é Renato Penov, tenho 31 anos e sou formado em publicidade pela ESPM.

Nasci em Sampa, ali na região da Av. Paulista, ou seja, falo ‘meu’ no começo e no final das frases. Gosto demais de escrever, sou fascinado por ciência e pelo mundo dos games, e amo futebol (especialmente quando o Corinthians joga).

Trabalho com redação e design, e agora sou colaborador do Testa pra Mim e vou falar dos assuntos que mais gosto por aqui.

Banner Facebook
  • Tales

    Legal, eu como fã de vídeo games, me lembro da época do super nintendo, era muito foda, porém de uns tempos pra cá, a marca não tem mostrado o mesmo peso de antes, perdendo em gráficos, design e muitos outros requisitos para os concorrentes, e o pior de tudo, cobrando preços iguais ou semelhantes. Provavelmente , o que ainda motiva muitas pessoas em todo mundo a comprarem o console, são as séries que ajudaram a revolucionar o mundo dos games como você citou, principalmente as do encanador Super Mário, quem sabe algum dia a nintendo volte a produzir conteúdo tão bom como antigamente.

    • Renato Penov

      Ótimo comentário, Tales! Que bom que a Nintendo ainda tem todas essas séries revolucionárias, como você mencionou, mas vamos torcer para que se equiparem à concorrência no futuro, né? Aqueles tempos do Super Nintendo foram bons demais. Valeu!

  • Rafael

    Fui criado no mundo dos games num período muito nostálgico para qualquer apaixonado por games. Ainda jogava com meus amigos vários jogos clássicos de arcade (Mortal Kombat e Street Fighter principalmente), apesar de que cheguei a ser bastante viciado ainda na época de arcades legais como Marvel x Capcom e X-men x Street Fighter. Mas o mais interessante é que naquela época eu peguei ainda jogos do nintendinho e o Super Nintendo foi uma revolução. Ótimos jogos com grandes gráficos (para a época, principalmente num console caseiro), além de enredos e personagens extremamente cativantes. Quem não se lembra até hoje de Aladdin, Sunset Riders, o hack de Campeonato Brasileiro (do original Superstar soccer), Bomber Man, The Lion King, Final Fight, Joe e Mac, Prince of Persia entre tantas outras obras primas (isso sem contar as mais clássicas como Mario, Zelda e Donkey Kong). Super Nintendo até hoje é épico. Mas a vinda do PS1 foi algo que revolucionou a cabeça dos gamers, mesmo dos que já conheciam consoles como Sega CD e Saturn.

    Meio que sinto que de lá pra cá a Nintendo foi aos poucos perdendo a fórmula. O Nintendo 64 a meu ver não foi lá um grande campeão, apesar de ter tido jogos bem legais. O Wii, por sua vez, trouxe jogos legais e manteve viva suas principais franquias, porém na minha opinião seu principal diferencial, ou seja, o elemento que mais proporcionou diversão foi o wii remote + nunchuk. Pensando nisto, se em vez de o Wii U apresentar esse gamepad como seu controle principal, tivessem investido em um console com hardware mais violento e mantido os controles do Wii já estaria de bom tamanho. E talvez teria alcançado muito maior sucesso que seus concorrentes.

    • Renato Penov

      Rafael, obrigado pelo comentário!

      Concordo com tudo que disse. Também peguei essa época tão nostálgica entre o fim da década de 80 e a maior parte dos anos 90. Acho que a Nintendo podia ceder um pouco às pressões da evolução da indústria e encontrar um público “no meio do caminho”, assim dizendo… um hardware mais avançado, até pra abrir mais portas com outros desenvolvedores grandes, e a inovação de controle ou conceito que eles acharem melhor. Fica difícil defender a compra de um Wii U pelo mesmo preço de um PS4, por exemplo, sabendo que o console da Sony vai ter um zilhão de opções a mais. Mas claro, os clássicos da Nintendo sempre valem a pena.

      Eu ainda vivo jogando os jogos antigos e me divirto tanto quanto há 20 anos atrás, haha. Sunset Riders também era um dos meus favoritos.

      Abraço!

  • Anônimo

    Bom, comprei um Wii U para jogá~l0 casualmente pois não tenho muito tempo livre. O problema é que o console suprerou minhas expectativas e tenho gastado muito tempo jogando! Inicialmente pretendia ter no máximo uns 10 jogos, mas já estou com 15 (incluindo 5 de Wii)! E ano que vem será lançado mais um que me interessou:
    https://www.youtube.com/watch?v=69p_yJQyQtc
    Um alerta para quem quer evitar jogos viciantes, Fiquem longe de um Wii U!

    • Anônimo

      Desculpe os erros de ortografia.

    • Renato Penov

      Anônimo,

      É verdade, vários jogos de Wii U, principalmente os da própria Nintendo, estão bem viciantes. Eu não vejo a hora de comprar o Super Mario Maker e perder mil horas criando fases, rs! Abraço e valeu pelo comentário!