Experimentei, e aí? Itubaína de Groselha!

Nova Itubaína sabor groselha

Já devo ter falado algumas vezes que não sou exatamente consumidora de refrigerantes. Mesmo orgânico, que já testei por aqui. Só tem algumas situações/tipos de comida que acabam pedindo ‘obrigatoriamente’ a bebida: pizza e hambúrguer, por exemplo.

Mas apesar de evitar refrigerantes, gosto de experimentar alguns diferentes quando encontro no meu caminho, até porque não sou fã de bebidas alcoólicas.

Há algum tempo, por exemplo, fui conhecer o Tubaína Bar aqui em SP, um bar especializado em refrigerantes regionais que são produzidos por pequenos fabricantes, principalmente do interior de São Paulo (e lá tem pamonha também, que eu amo, rs).

No bar tem a tradicional Itubaína e muitos outros refrigerantes, é bem legal.

Eu não me lembro exatamente quando tive contato com Itubaína tradicional (tutti-frutti) pela primeira vez, só sei que depois que conheci, o Guaraná e ele disputam um espacinho no meu coração quando vejo nas prateleiras e dá aquela vontade.

A Itubaína nasceu em 1954 e foi batizada com este nome em homenagem à sua terra natal, Itu, a cidade “onde tudo é grande”.

Em 2008, incorporou o visual “Itubaína Retrô” com a garrafinha long neck, que com certeza é minha versão predileta. Também tem a opção Zero açúcar nesse mesmo formato.

E por ser tão tradicional, quando vi pela primeira vez uma imagem diferente nas redes sociais com o ‘líquido’ vermelho já me brilhou os olhos pra testar. E ai, preciso comentar, o que é a Palmirinha Onofre nas fotos de divulgação?

Tô morrendo de amores. O Facebook da marca tá lindo com as fotos da vovó ♡

Itubaína groselha posts Facebook

Mas chega de conversa. E aí, valeu a pena correr atrás dessa edição limitada de Itubaína?

Eu sou realmente suspeita, porque já estava super empolgada antes mesmo de encontrar pra comprar. Mesmo que seja pra não consumir sempre (até porque vai sair das prateleiras), gostei muito da ideia de provar um sabor de Itubaína da “minha época”, afinal de contas, esse é só pra 2017.

O primeiro gole foi estranho, deu uma leve confusão mental, até por ver a embalagem muito similar à tradicional. No segundo você já entende que “ok, o sabor é outro”, passou o susto.

Eu gostei, achei mais docinho que o tradicional, mas não chegou a incomodar. O sabor lembra bem groselha mesmo, mas com um toque que suaviza. Achei que ia ser enjoativo, mas conseguiram dar uma disfarçada.

Por ser edição limitada, achei que valeu super a pena a experiência. Se fosse ficar pra sempre no mercado, acho que uma vez na vida escolheria ele, nas outras iria no tradicional que é imbatível, não tem jeito.

Encontrei pra comprar no Carrefour e paguei R$1,89 na garrafinha.

Comenta aí se tem curiosidade pra conhecer. Ou se já conheceu, quero saber sua opinião 🙂

Banner Facebook
  • Marcus

    Tô procurando uma dessa há semanas mas infelizmente aqui em Goiânia não costumam chegar os sabores diferentes e ainda não achei nenhuma loja online vendendo 🙁

    • Fabiula Almeida

      Oi Marcus! Aqui em SP não estava muito fácil de encontrar também, talvez em alguma rede maior você consiga, espero que dê sorte. Loja online também não encontrei. Bjs